Quinta-feira, 9 de Setembro de 2010

Depois das férias é tempo de pensar no regresso às aulas dos seus filhos. Cadernos, mochilas, livros, lápis, canetas, aparelhos electrónicos, mais a roupa, que isto as crianças teimam em crescer uns bons centímetros durante o Verão… É quase altura para levar as mãos à cabeça, só de pensar no impacto que tudo isso terá na sua carteira. Mas lembre-se que não é motivo para desespero, existem sempre formas de poupar e reduzir os gastos.

 

Antes de pegar nos seus filhos e de se dirigir às lojas, existem alguns passos que deve procurar dar:

  1. Dê uma volta ao armário do seu filho, veja as roupas que ainda servem. Dê as que já não vão ter uso. Observe as gavetas e a secretária. Provavelmente, há coisas que podem ser reaproveitadas, como a mochila ou canetas ou algum outro material escolar;
  2. Consulte a lista de material escolar exigida pela escola e veja o que realmente precisa de comprar e o que tem em casa;
  3. Estipule um tecto máximo para a despesa e informe o seu filho desse valor. É importante que ele saiba até quanto pode gastar, para quando for escolher o material ter em atenção os preços e não exceda o limite estipulado por si;
  4. Os manuais escolares são caros, antes de comprar verifique se existe um amigo, irmão ou familiar mais velho que tem e que possa emprestar;
  5. Tome atenção às promoções dos espaços comerciais. Por esta altura, existem sempre muitos catálogos a circular nas caixas do correio e nos jornais. De acordo com a lista de compras que fez, verifique qual é o estabelecimento que lhe oferece os melhores preços;
  6. Não se esqueça dos benefícios fiscais que o Estado concede. Pode deduzir até 30 por cento das despesas com educação, com o limite de 760 euros. Se tiver três ou mais dependentes, são acrescidos mais 135 euros por cada um deles, desde que existam gastos relativos a todos.
  7. Agora que já fez as compras para o ano lectivo, incentive os seus filhos a poupar o material novo. A forrar livros, a pôr o nome nas suas coisas, a tratá-las com cuidado. Essa é a melhor maneira de não ter de comprar coisas iguais no próximo ano.

Estudar longe da casa e minimizar custos

Ficar colocado ou ter um filho numa escola ou universidade longe de casa significa um aumento de despesas para a família, não só em alojamento, alimentação, propinas e material de estudo, como também em deslocações. De forma a diminuir a factura, o Saldo Positivo dá-lhe algumas sugestões, agradecendo aos leitores que partilharam as suas sugestões através da nossa página no Facebook.

  1. Procure escolher um quarto ou uma casa perto da sua escola ou universidade. É uma forma de poupar dinheiro em transportes e também poupar tempo;
  2. Faça algumas das suas refeições em casa, ou almoce na cantina da escola, as refeições são completas e a custo reduzido;
  3. Recorra ao ginásio do seu campus universitário, a mensalidade é mais barata. Ou então faça desporto ao ar livre – combine corridas, caminhadas e jogos de futebol com os amigos;
  4. Aproveite o cartão de estudante para ir a espectáculos, cinema e exposições a preços mais baixos;
  5. Se a mesada dos pais não for suficiente, procure um part-time perto de casa, ou emprego na sua área. Lembre-se que quanto mais cedo começar a trabalhar, mais facilmente o seu currículo será apreciado e mais sucesso poderá ter profissionalmente;
  6. Quando visitar os seus pais, tente trazer alguma comida já feita para as refeições durante a semana;
  7. O cartão Jovem, além de ter inúmeras vantagens, dá descontos nos bilhetes de autocarro expresso e nas viagens de comboio regionais (e agora foi alargado até aos 29 anos);
  8. Poupe dinheiro na reprografia, seleccionando impressões frente e verso e duas páginas numa só. Se arranjar uma madrinha ou padrinho de curso, talvez consiga obter apontamentos e materiais de estudo do seu ano e que já não lhe fazem falta;
  9. Se não tiver dinheiro para a factura da Internet, utilize o wireless da faculdade;
  10. Aproveite para estudar muito. Quando estiver a trabalhar no seu emprego de sonho desforre-se com um jantar no melhor restaurante da cidade.

Nota: Não se esqueça dos benefícios fiscais que o Estado concede. Pode deduzir até 30 por cento das despesas com educação, com o limite de 760 euros.

fonte:http://www.saldopositivo.cgd.pt/



publicado por adm às 19:32 | link do post | comentar

tags

actualidade

apoios

atualidade

benefícios fiscais

crise

custos

dicas para poupar dinheiro

educação

ensino superior

livros

livros escolares

manuais escolares

material escolar

noticias

portugal

regresso às aulas

saúde

universidade da terceira idade

vagas

verão

todas as tags

links
subscrever feeds