Segunda-feira, 23 de Novembro de 2009

O potencial de marketing que tem o regresso às aulas é visível em qualquer loja que lide com produtos relacionados com a escola. A promoção é sobre livros escolares, cadernos, lápis e canetas, réguas, batas ou uniformes, além de sapatos e roupas novas porque o Verão se encarregou de fazer crescer braços, pernas e pés dos miúdos.

 

Contas feitas, a factura é bem pesada, podendo chegar aos 200 euros por filho. Por isso é que o mês de Setembro é difícil para quem tem filhos (não é só por causa do fim das férias). Isto sem pensar em eventuais mensalidades de colégio ou de actividades de tempos livres (ATL) para colmatar os horários de trabalho dos pais.

Aproveite as informações sobre as várias promoções que lhe chegam à caixa de correio e, se isso tornar os produtos mais baratos e se se justificar, opte por comprar em grande quantidade e dividir a despesa com outros pais. Em casa, decidam aquilo que será preciso comprar ou o que pode ser reutilizado de anos anteriores, munindo-se das listas que as escolas habitualmente preparam. Se quer mesmo evitar desvios ao orçamentado não leve os seus filhos às compras. Se tiver alguma margem, e filhos mais crescidos, deixe-os fazer algumas escolhas na loja, mas vá com um orçamento e uma lista de compras definida, senão pode facilmente ultrapassar o essencial.

Livros são um bom investimento

O mercado dos livros escolares vale mais de cem milhões de euros e os custos aumentam de ano para ano. De acordo com a livraria Portugal em Lisboa, o preço médio dos livros escolares mais os livros de exercícios recomendados pelas escolas, para um aluno do terceiro ciclo (7º ao 9º ano) custa entre 180 a 190 euros. Já no segundo ciclo (5º e 6º ano), o preço varia entre 120 a 130 euros. E no primeiro ciclo (1º ao 4º ano), custam cerca de 40 euros. Para os estudantes do ensino secundário a factura ultrapassa os 200 euros.

Já sabe de que livros os seus filhos precisam? Pode consultar a lista no Ministério da Educação e confirmar junto da escola. Actualmente já pode fazer encomendas dos livros na internet, potencialmente recebendo algum benefício, como descontos ou entrega sem custos. Em wook.pt pode contar com entrega por estafeta em sua casa. Alguns hipermercados também oferecem desconto, que pode ser aumentado com a utilização do cartão de fidelização.

Já que estamos a falar de ler, não se fique só pelos livros escolares. Invista em bons livros de leitura adaptados à idade dos seus filhos. É a melhor maneira de aprenderem a falar e a escrever correctamente. Se ainda não souberem ler, habitue-se a ler-lhes todos os dias uma pequena história.

Informática para todos

Não há miúdo que não saiba o que é o Magalhães, o mais famoso pequeno computador do mundo. Se por um lado devemos evitar que as crianças passem muito tempo à frente do computador, incentivando-as a desenvolver actividades na rua, é importante que se familiarizem com a tecnologia e com a pesquisa na internet. O material informático é um investimento caro, mas que pode ser muito útil para a formação dos seus filhos (como o ZX Spectrum foi para a sua formação). Se não tem dinheiro disponível para avançar para essa compra, pode pedir um empréstimo, mas estude bem as condições de pagamento. 

Com o programa e.escolinhas todas as crianças do 1º ano ao 4ºano, podem adquirir um computador portátil pelo preço de 50 euros. No entanto, os alunos beneficiários da acção social, caso pertençam ao escalão B pagam apenas 20 euros e as crianças mais carenciadas pertencentes ao escalão A, recebem o Magalhães a custo zero. A assinatura mensal da Internet móvel fica ao critério dos pais quererem aderir ou não.

Já no programa e.escolas destinado a alunos do 5º ao 12º ano, o custo do computador é gratuito para os alunos cujos rendimentos do agregado familiar sejam baixos (escalão A e B), para os restantes o preço inicial é de 150 euros. Nesta iniciativa destinada aos alunos do 2º, 3º ciclo e ensino secundário, o fornecimento dos equipamentos portáteis são assegurados pelas operadoras de telecomunicações móveis – TMN, Vodafone e Optimus. Porém, o acesso aos computadores do programa e.escolas implica a adesão à Internet móvel por um período mínimo de três anos, cujo preço da assinatura mensal ronda os 17,5 euros e cinco euros para os alunos mais carenciados. Os interessados deverão solicitar um código de validação na escola onde estão matriculados a fim de poderem efectuar a inscrição no site.

fonte:http://www.saldopositivo.cgd.pt/



publicado por adm às 19:33 | link do post | comentar

tags

actualidade

apoios

atualidade

benefícios fiscais

crise

custos

dicas para poupar dinheiro

educação

ensino superior

livros

livros escolares

manuais escolares

material escolar

noticias

portugal

regresso às aulas

saúde

universidade da terceira idade

vagas

verão

todas as tags

links
subscrever feeds