Quinta-feira, 18 de Agosto de 2011

É um ritual que se repete todos os anos: a compra dos manuais escolares vai custar este ano mais 1,13 por cento às famílias com filhos a frequentar o ensino básico. No secundário, não há aumento de preços.

 

A actualização em 1,13 por cento no valor dos livros para os alunos que frequentam o básico é inferior ao valor da inflação que, em Junho, registou 2,94 por cento. Esta estabilização dos preços fica aquém do aumento permitido pela convenção estabelecida em 2010 entre o Governo, editores e livreiros e reflecte - escreveu ontem a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) em comunicado - "o sentido de responsabilidade dos editores escolares perante a situação económica e social que o país atravessa". Isto porque "há um interesse em tornar a compra dos manuais escolares o menos pesada possível para as famílias com filhos em idade escolar", como precisou ao PÚBLICO Miguel Freitas Costa, da APEL, sem deixar de ressalvar que esse esforço "se faz à custa das margens das editoras que, no ano passado, já tiveram de suportar o aumento do IVA de cinco para seis por cento". 

A menos de um mês da abertura do novo ano escolar, a APEL garante que "o abastecimento do mercado escolar está a decorrer sem problemas, com a maioria dos livros já disponível nas livrarias". 

Como nos anos anteriores, o ensino secundário é o que mais pesa nas carteiras das famílias portuguesas: à volta de 200 euros. No terceiro ciclo do básico, o custo dos manuais ronda os 170 euros, podendo baixar para perto dos 80 euros no 2.º ciclo e para cerca de 25 euros no 1.º ciclo do básico. 

fonte:http://www.publico.pt/



publicado por adm às 14:03 | link do post | comentar

tags

actualidade

apoios

atualidade

benefícios fiscais

crise

custos

dicas para poupar dinheiro

educação

ensino superior

livros

livros escolares

manuais escolares

material escolar

noticias

portugal

regresso às aulas

saúde

universidade da terceira idade

vagas

verão

todas as tags

links
subscrever feeds