Terça-feira, 23 de Agosto de 2011

Já não falta muito tempo para o início do ano letivo 2011/2012 – agendado para a semana de 8 a 15 de setembro –, mas são muitas as situações que preocupam. Desde alunos ainda sem escola à falta de docentes (por reforma), passando pelas despesas inerentes ao começo das aulas, com a compra de livros e diversos outros materiais escolares essenciais.

Muitas são as famílias que, devido à crise que se vive em Portugal, este ano optaram por tirar os filhos das escolas privadas. Porém, muitos são também aqueles que ainda não conseguiram arranjar lugar nos estabelecimentos públicos e que continuam sem ter escola definida para o ano letivo 2011/2012.

O facto de muitos professores terem pedido a reforma também está a causar preocupações. Só este ano já se reformaram 2.100 docentes, o que corresponde a uma média mensal de 237. O que significa que cerca de três centenas de professores vão ser colocados em setembro para em outubro deixarem de dar aulas. Este processo de substituição de docentes pode deixar os estudantes sem ter aulas durante um mês.

Tudo a juntar ao facto de os rendimentos familiares estarem ainda mais apertados do que em anos anteriores e as despesas aumentarem significativamente com o início das aulas. De acordo com um estudo recente, as famílias portuguesas gastam em média 500 euros com o regresso às aulas.

fonte:http://www.record.xl.pt/



publicado por adm às 00:33 | link do post | comentar

tags

actualidade

apoios

atualidade

benefícios fiscais

crise

custos

dicas para poupar dinheiro

educação

ensino superior

livros

livros escolares

manuais escolares

material escolar

noticias

portugal

regresso às aulas

saúde

universidade da terceira idade

vagas

verão

todas as tags

links
subscrever feeds